Litoral Virtual últimas notícias do litoral
Terça-feira, 01 de fevereiro de 2005 - Nº 1211 Edições Anteriores

Litoral Virtual Casa na Fortaleza

Região
Presidentes querem criar a `Super-Câmara´
Prefeituras devem se ajustar e promover concursos
Associações Comerciais discordam ao tratar de faturamento no Carnaval

Caraguatatuba
Assessor de deputado é acusado de desacatar policial em Caraguá
Bombeiro resgata homem picado no litoral
Final de semana em Caraguá tem três mortos
Rapaz morre ao tentar salvar amigo
Charretes fabricadas em Caraguá são exportadas
Caraguatatuba começa a construção o Centro de Especialidades Médicas
Zoonose orienta moradores do Indaiá sobre prevenção a Dengue
Comissão do Plano Diretor se reúne em Caraguá
Itália Fausta lotou platéia do teatro Mário Covas no último sábado 29
Caraguá vai sediar Jogos Regionais
Encerra os campeonato esportivos em Caraguá
Fundacc realiza Carnaval de Antigamente nas praças de Caraguá

Ilhabela
Vereador propõe a cobrança de taxa ambiental de turistas; prefeito apóia

São Sebastião
Definidos Rainha e Rei Momo do Carnaval 2005
Seminário propõe ações para novos Prefeitos e Vereadores
Projeto de mudança geográfica entre São Sebastião e Bertioga gera polêmica
Pastor Paulo Correia abre o jogo sobre o caso Leopoldino

Ubatuba
Ubatuba diz não à dengue
Comissariado fiscaliza o ingresso de menores em casas noturnas
Charles Medeiros recebe empresário da aviação comercial
Definido os novos Coordenadores dos Grupos Setoriais da Fundart

Seções
Artigo
Opinião
Crônica
Carta do Leitor
Foto do Dia


Notícias da Região Topo

Presidentes querem criar a `Super-Câmara´

Litoral Norte - Os recém empossados presidentes das Câmaras dos quatro municípios do Litoral Norte - Juarez Pardim (PPS), por Caraguatatuba; Wagner Teixeira (PV), por São Sebastião; Luiz Antonio dos Santos (PL), o Luiz Lobo, por Ilhabela; e Jairo dos Santos ( PT), por Ubatuba, estão na fase inicial de entendimentos para a criação de uma Câmara Regional, dotada de "super poderes" para cobrança de posições junto aos governos do Estado e da Federação para a resolução de problemas comuns às quatro cidades.
O embrião da já apelidada "super-câmara do Litoral Norte" partiu do presidente do Legislativo de Ubatuba, Jairo dos Santos, e encontra inspiração em iniciativa semelhante, em operação na região metropolitana de São Paulo, o que ampliou o poder de reivindicação de oito cidades, entre elas, os municípios de Santana do Parnaíba, Barueri e Itapevi, conhecidos por tentar equilibrar as pressões entre a expansão da mancha urbana da metrópole e a defesa dos remanescentes do "cinturão verde" que assegura a qualidade de vida dos pequenos municípios pertencentes à região.
O vereador ubatubense mostrou-se muito entusiasmado após o contato inicial com os presidentes das outras três cidades: "Fiz o convite a eles e aguardo a definição de uma data para marcarmos a primeira reunião".
Ele acredita que esse encontro acontecerá neste final de semana, em Caraguatatuba. Santos avalia ser mais fácil obter recursos com a união das cidades.
"Se nos unirmos, a força política será diferente, muito maior. Cresce o nosso poder de barganha com o governo", explica o petista.
"A princípio, os presidentes deverão se reunir e discutir quais os problemas de cada uma das cidades. A partir daí, seria montada uma pauta em comum e as reivindicações serão levadas ao governo do Estado e até Brasília, quando for necessário".
A reportagem questionou quais seriam os temas prioritários. "Temos em comum os problemas na área de Saúde. Queremos trazer para cá um hospital regional, com sede em Caraguatatuba".
Outros problemas apontados por Jairo dos Santos são a falta de habitação e o crescimento em desacordo com a capacidade de suporte do meio ambiente.
"Temos de discutir o meio ambiente, isso afeta a nós todos", e tomou como exemplo o caso de Ubatuba, que é muito semelhante ao de Ilhabela, onde 80% do território ocupado pela cidade está em área de preservação - dentro do Parque Estadual da Serra do Mar.
"Queremos que o governo invista em programas habitacionais para que Ubatuba não cresça desordenadamente, violando a mata protegida".
O presidente da Câmara de Caraguá, Juarez Pardim acredita que se houver unificação dos esforços, o Poder Legislativo das quatro cidades terá seu poder amplificado, podendo reivindicar junto ao governo do Estado ações que vêm sendo cobradas somente pelo Executivo.
"Poderemos então, prefeitos e Câmara Regional, pedir soluções para os problemas regionais, tais como o aumento do efetivo policial, a criação do hospital regional e obras de saneamento das praias".
Luiz Lobo, presidente da Câmara ilhabelense se sentiu particularmente emocionado ao receber o convite para a reunião preliminar da "super-câmara".
Ele próprio, entusiasta da união dos esforços dos vereadores do Litoral Norte, chegou a articular um esforço semelhante em 2000, quando exercia o mandato de vereador.
Conta que só abandonou a idéia após várias tentativas infrutíferas de conciliar as agendas dos pares. "Acredito que agora vai".
Lobo considera que Ilhabela, em menor escala, vive problemas semelhantes aos encontrados em Caraguá, Ubatuba ou São Sebastião, envolvendo questões como segurança, trânsito, falta d'água na temporada de verão e precariedade na estrutura de coleta e tratamento de esgoto.
E a proposta também foi bem recebida por Wagner Teixeira, de São Sebastião, que sugeriu ainda um convite ao presidente da Câmara de Bertioga.
"Assim, ganhamos representatividade com quatro ou cinco presidentes de Câmaras brigando por reivindicações".
Para ele, as prefeituras têm uma forma de tratar de assuntos regionais através de vários órgãos e associações, como por exemplo o Codivap (Consórcio de Desenvolvimento Integrado do Vale do Paraíba, Serra da Mantiqueira e Litoral Norte).
"Então, é justo que também o Legislativo una forças para conseguir benefícios para a região".
Ele também cita a questão ambiental como uma das primordiais a serem discutidas durante o primeiro encontro. (Fonte: Fernando de Santis/Correio do Litoral)

Prefeituras devem se ajustar e promover concursos

Litoral Norte - Com a lei sendo descumprida na maioria dos casos, algumas das prefeituras buscarão, em 2005, adequação às normas promovendo concursos públicos para provimento de cargos, ao invés da simples contratação.
A proposta é atender aos requisitos da nova legislação e evitar o risco de processos e condenações - o que pode resultar em prisão e no ressarcimento dos cofres públicos.
Em São Sebastião, a proposta do prefeito Juan Pons Garcia (PPS) é a de cumprir a lei. Até julho, ele espera realizar concursos para atrair novos funcionários. "A Prefeitura vinha trabalhando de forma totalmente irregular e a ordem nossa é fazer os concursos públicos".
Ele lembra que as contratações temporárias devem obedecer à Constituição e à Lei 966/03, que as permite apenas em situações de calamidade pública, inundações, enchentes, incêndios, epidemias, surtos, campanhas de saúde pública, perturbação na prestação de serviços essenciais e em casos de emergência, quando possa comprometer a realização de eventos ou prejudicar a segurança e a saúde das pessoas.
Segundo Juan Garcia, há casos na Prefeitura em que o funcionário trabalha sob contrato há oito anos. "A Prefeitura de São Sebastião é campeã em ilegalidade".
O prefeito lembra que os próprios trabalhadores saem prejudicados ao aceitarem tal situação, já que a contratação não lhes traz segurança ou quaisquer benefícios.
Ele, que há uma semana enfrentou um manifesto de trabalhadores da Saúde, dispensados após encerramento de seus contratos, diz que apenas não acaba com essa prática para não causar transtornos à administração. "Temos déficit em áreas como Esporte, Cultura, Saúde e Educação. Provavelmente, serão nestas áreas que sairão os concursos".
Caraguatatuba não enfrenta esse tipo de problema. É o que diz o prefeito José Pereira de Aguilar (PSDB), através de sua assessoria de imprensa.
Naquele município, não existem contratados como em São Sebastião. Lá, ou os funcionários são concursados, ou nomeados para cargos em comissão. Outra questão é que a cidade realizou, em 2003, concurso público para provimento de cargos e o mesmo ainda é válido.
"Se for preciso, os concursados serão chamados", garante a assessoria de Aguilar.
Em Ilhabela, o prefeito Manoel Marcos (PTB) garante que a prefeitura está regular e não mantém contratados. Mas também lá existe a necessidade de concurso para algumas funções. "Não tenho previsão se vai haver concurso", declara o prefeito.
"Se houver, será para cargos em que há defasagem, como fiscais e vigias".
Conforme Manoel Marcos, a Prefeitura usa o pagamento de subvenção às entidades e estas se responsabilizam por contratar mão-de-obra a ser utilizada em algumas áreas da Administração.
"Não temos contratos, até porque quero manter a folha de pagamento com percentual máximo de 40% da receita", avisa Manoel Marcos.
O prefeito de Ubatuba, Eduardo César (PL), não foi encontrado para comentar o assunto.
Contratar quase sempre é irregular - O procurador da Coordenadoria Nacional de Combate às Irregularidades Trabalhistas na Administração Pública, órgão ligado ao Ministério Público do Trabalho, Joaquim Rodrigues Nascimento, trabalha averiguando fraudes nas administrações públicas.
"Pegando a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), a gente pode encontrar tudo o que desrespeita a nossa lei trabalhista. Tá certo que o concurso público só é mencionado na Constituição Federal de 1988, mas podemos chamar a contratação, em alguns casos, de irregularidade".
Segundo ele, todos os municípios são obrigados a fazer concursos públicos para contratação, com exceção dos cargos em comissão, que devem ser nomeados.
"A própria legislação municipal especifica o que tem de ser nomeado e o que tem de ser concursado. Não se pode nomear, por exemplo, o trabalhador da limpeza", explica.
"Temos de lembrar também, que os comissionados são minoria, enquanto o resto precisa ser concursado".
Segundo a Constituição Federal, a administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedece aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.
E ainda: os cargos, empregos e funções públicas são acessíveis aos brasileiros ou estrangeiros que preencham os requisitos em lei.
Para finalizar, cita que o ingresso nos cargos públicos depende de aprovação em concurso.
"Encontramos muita irregularidade. Às vezes, um contrato é renovado por toda a vida. O administrador precisa se adequar, senão está sujeito a sofrer sanções".
Joaquim lembra que qualquer pessoa pode denunciar órgãos e repartições públicas que contratem sem prestação de concursos. Basta enviar um email para o Ministério Público do Trabalho, no site www.prt15.gov.br  (Fonte: Correio do Litoral)

Associações Comerciais discordam ao tratar de faturamento no Carnaval

Litoral Norte - O Carnaval se aproxima e deixa o comércio do Litoral Norte ficar na expectativa de faturamento, uma vez que cerca de um milhão de pessoas devem curtir as praias da região.
As opiniões sobre o tema variam e os presidentes das associações comerciais das cidades ainda não sabem o que acontecerá durante uma das maiores festas populares brasileiras.
Os presidentes das Associações Comerciais e Industriais de Ilhabela e de São Sebastião discordam quando o assunto é consumo, ou mesmo como atrair os turistas para comprarem no comércio local.
Marcelo Ferreira Carlos, de Ilhabela, tem boas expectativas, mas adverte que por se tratar de uma festa popular, os visitantes que chegam ao arquipélago não gastam muito.
"O pessoal que vem de fora traz tudo comprado. Em conseqüência, o nosso comerciante não tem muita chance de aproveitar essa oportunidade".
Ele declara que no carnaval ilhabelense chega a receber mais pessoas que durante as festas de fim de ano. Entretanto, estes turistas fazem parte de outra classe econômica.
"O comércio não tem como atrair esse tipo de consumidor, ele já vem todo equipado e com o dinheiro contado. Talvez pudesse ser feita uma campanha juntamente com todo o comércio e algo poderia mudar".
Já Fábio Aranha, presidente da Aciss, garante que mesmo sendo o Carnaval uma festa popular as pessoas mudaram o conceito de não usufruir do comércio local sebastianense.
"Temos lojas de alta qualidade, que proporcionam aos turistas preços que não variam muito, com os de São Paulo", avalia.
"Esse negócio de trazer tudo comprado já mudou, isso era antigamente. Atualmente, a demanda de consumo em São Sebastião tem sido ótima, não temos o que reclamar".
Aranha afirma que a expectativa para este carnaval é grande, desde que não chova.
"Esperamos uma festa melhor do que em 2004".
O presidente ressalta que os hotéis se preparam para aumentar em 40% a demanda, em relação ao mesmo período do ano passado.
"Os hotéis da cidade estão prontos para receber os turistas, e devido ao Carnamar e outras atrações que a cidade oferecerá, a procura tem sido maior".
Caraguatatuba e Ubatuba - A Associação Comercial de Ubatuba, representada pelo seu gerente, Célio Moraes, não tem expectativa alguma para este Carnaval.
"Só esperamos que o movimento seja mais satisfatório que no ano passado e é impossível ter uma previsão de cálculo sobre o faturamento, já que não se sabe o número de pessoas que irão visitar a cidade".
Ainda conforme Moraes, não existe previsão a ser feita, nem mesmo algo que se esperar da época. "Se alguém falar que a expectativa é boa para o Carnaval, está mentindo, é puro chute. Não dá para saber qual será a movimentação na cidade durante esses dias".
Em Caraguatatuba, tudo depende da meteorologia para que o comércio lucre durante o Carnaval.
O presidente da Associação Comercial e Industrial, Jorge Washington, afirma que no Natal, fim de ano e no começo da temporada, o comércio aproveitou bem a demanda de turistas que a cidade recebeu. Agora, ele espera que o sol ajude e apareça para atrair turistas, provocando movimento intenso durante a festa.
Washington acredita que devido ao fato de Caraguatatuba contar com grandes lojas, onde a concorrência é grande, o preço dos produtos não variará muito. "Isso é melhor para as pessoas, porque os preços caem a ponto de cobrarem o mesmo que o distribuidor".
Sobre a preparação do comércio para recepcionar os turistas, ele garante que apenas não haverá mais pessoas hospedadas porque a cidade não comporta mais turistas.
"Infelizmente, não atenderemos todos que querem ficar hospedados em nossos hotéis, mas o aluguel de casas será uma opção. E mesmo assim, ainda não conseguiremos dar conta". (Fonte: Correio do Litoral)

Notícias de Caraguatatuba Topo

O Guaruçá BIL -= Bolsa de  Imóveis do Litoral Salete

Assessor de deputado é acusado de desacatar policial em Caraguá
Briga de trânsito acaba na delegacia; funcionário da Assembléia vê 'mal-entendido'

Caraguatatuba - O assessor especial do deputado estadual José Domingos Bittencourt (PTB), Silas Alves de Almeida, foi indiciado por ameaça, danos e desacato pela Polícia Civil de Caraguatatuba.
Na noite de sábado, Almeida foi detido e levado à delegacia sob acusação de danificar o portão de uma residência, ameaçar os donos da casa e ainda supostamente desacatar um policial militar.
O incidente ocorreu por volta das 22h no bairro do Porto Novo. Almeida, que se encontrava em um bar, foi ao local buscar um aparelho de som. Ao manobrar seu carro, um Fiat Palio, colidiu contra o portão de uma residência.
A moradora L.C.S, de 17 anos, saiu da casa para saber o que teria ocorrido. Segundo ela, quando foi conversar com Almeida, ele teria deixado o local fazendo ameaças.
Minutos mais tarde, Almeida retornou e, portando uma carteira da Assembléia Legislativa, começou a discutir com o proprietário da casa, alegando que ser delegado e assessor do Legislativo paulista.
O policial militar Wilson Davino do Amaral, 43 anos, chegou ao local e disse ter sido ofendido pelo assessor.
O PM decidiu então encaminhar todos à delegacia, onde a delegada Carla Salgado elaborou o boletim de ocorrência indiciando o assessor parlamentar.
OUTRO LADO- Para Almeida, que passa suas férias na cidade, tudo não teria passado de um 'mal-entendido'. "Está tudo resolvido, não guardo ressentimentos e nem mágoas de ninguém", afirmou. O assessor negou ter ofendido o PM durante o desentendimento.
O deputado José Domingos Bittencourt cumpre seu primeiro mandato e ocupa a vice-liderança do PTB na Assembléia.
Bittencourt é advogado e presidente da Assembléia de Deus em Santo André (SP). Ele se disse ao ValeParaibano que estava surpreso com o caso.
"Estou espantado. Prometo que vou apurar tudo e se as informações forem procedentes vou tomar as providências cabíveis", disse o parlamentar. Segundo ele, Almeida trabalha há dois anos em seu gabinete prestando assessoria. (Fonte: Salim Burihan/ValeParaibano)

Bombeiro resgata homem picado no litoral

Caraguatatuba - O Corpo de Bombeiros resgatou ontem o lavrador José Cláudio Maciel, 46 anos, picado por uma cobra venenosa na serra do Pirassununga, na região sul de Caraguatatuba. Maciel foi ferido pela cobra por volta da 1h de ontem, quando caminhava pelo mato. Para resgatar o lavrador, homens do Corpo de Bombeiros precisaram caminhar por cerca de uma hora dentro da mata fechada. Maciel foi resgatado por volta das 8h e removido para a Santa Casa de Caraguá, onde permanecia internado até ontem à noite. Segundo os Bombeiros, ele pode ter sido ferido por uma jararaca ou jaracuçu, cobras que seriam bastante comuns na Serra do Mar. (Fonte: ValeParaibano)

Final de semana em Caraguá tem três mortos

Caraguatatuba - A Polícia Civil registrou três mortes no final de semana em Caraguatatuba. Dois homicídios ocorreram no bairro do Perequê-Mirim, na madrugada de sábado. Já no bairro dos Golfinhos, um rapaz foi morto durante um confronto com a Polícia Militar, na madrugada de ontem.
E.S., 18 anos, foi encontrado morto com sete tiros no Perequê-Mirim. O jovem trajava bermuda e camiseta e segurava em uma das mãos um terço. A polícia não tem pistas do autor dos disparos.
Ainda no Perequê-Mirim, também na madrugada de sábado, populares localizaram o corpo de J.O.D., 24 anos, na rua José da Costa Ribeiro Júnior. Ele foi morto com cinco tiros e a polícia não obteve pistas dos responsáveis.
CONFRONTO - Um homem, ainda não identificado pela polícia, morreu no início da madrugada de ontem após uma troca de tiros com policiais militares no bairro dos Golfinhos.
Segundo a Polícia Civil, dois policiais militares faziam ronda pelo local quando viram um homem correndo, com uma arma nas mãos. Os policiais teriam pedido para ele parar, mas o homem teria passado a atirar contra os PMs.
O homem acabou ferido e encaminhado até a Santa Casa, mas não resistiu. Segundo a PM, o homem teria praticado um assalto.
A vítima tinha 1,70 metro de altura, cabelos curtos e era magro, aparentando 20 anos de idade. (Fonte: ValeParaibano)

Rapaz morre ao tentar salvar amigo

Caraguatatuba - O turista Ronaldo Gouvetti, 29 anos, de Guarulhos (SP), morreu no sábado na praia Martin de Sá, em Caraguá. Ele teria se afogado ao tentar salvar um amigo que caiu da costeira.
Segundo o Salvamar (Salvamento Marítimo), Gouvetti e um amigo, identificado apenas como César, haviam ido pescar na costeira.
O acidente ocorreu às 19h. César teria escorregado e caído ao mar. Gouvetti pulou para tentar salvar o amigo e acabou se afogando.
Segundo o Salvamar, César foi resgatado pelos guarda-vidas com vida e encaminhado ao hospital, onde foi medicado e liberado.
Os guarda-vidas conseguiram encontrar Gouvetti, que também foi removido ao hospital mas não resistiu.
O Salvamar informou que, devido ao mar agitado, Gouvetti foi jogado contra as pedras. Em São Sebastião, o Salvamar não tinha localizado até o final da tarde de ontem o corpo de Flávio Dantas, de São Paulo, que desapareceu quinta-feira em Maresias. (Fonte: ValeParaibano)

Charretes fabricadas em Caraguá são exportadas
Alcides Roque de Andrade, 53 anos, fez de seu hobby um produto de exportação. Marceneiro por profissão, encontrou na fabricação de charretes uma forma de enviar para o mundo sua arte

Caraguatatuba - O marceneiro Alcides Roque de Andrade, de 53 anos, encontrou em sua profissão um hobby. Especialista em restauração de portas e janelas, o marceneiro, que tem mais de 30 anos de profissão, está fabricando charretes e pretende levar seu trabalho para todo o mundo.
“Já fabriquei cerca de 30 charretes. Algumas foram para outros estados como Distrito Federal e Mato Grosso. Existe uma no município de Monteiro Lobato, perto de São José dos Campos. Enviei quatro para a Itália no ano passado e já tenho encomenda para fabricar mais quatro”, contou.
O processo de fabricação é inteiramente artesanal, inclusive a parte da estrutura de ferragem. Andrade desenha o modelo, prepara o material e confecciona, até os paralamas das charretes, em madeira. As espécies de matéria-prima mais usadas são o Pinho de Riga, o Marfim, a Peroba Antiga, a Peroba do Campo, a Cabriúva e o Ipê.
O valor final do produto gira em torno de R$ 12 mil, se a madeira utilizada for Pinho de Riga. Se a madeira for Marfim, o valor é menor, em torno de R$ 6 mil.
Os trabalhos que o marceneiro faz de restauro e construção de portas, de janelas e de esquadrias são os mais freqüentes. Ele disse que já trabalhou com janelas de mais de 100 anos de idade. “Fazemos tudo aqui. Pegamos uma velha porta e a deixamos novinha. No caso de o cliente desejar mudar a cor do Pinho de Riga, nós fazemos um banho que clareia o tom da madeira”, explicou. Segundo Andrade, ele fez o restauro de uma janela da demolição da antiga maternidade da Rua Frei Caneca, em São Paulo.
Ele ainda fabrica e restaura mesas, penteadeiras, cristaleiras, escadas e espelhos, sob encomenda. “Já fabriquei uma mesa de Pinho de Riga para o filho do Antonio Ermínio de Moraes, que está na casa dele no Condomínio Laranjeiras em Parati”, afirmou.
Localizada na saída de Caraguá, a marcenaria de Andrade tem hoje sete funcionários. Além da fabricação de charretes, no local são restauradas peças de demolição, produzidas réplicas de janelas, portas e móveis antigos.
Mais informações pelo telefone (12) 388-4112, pelo e-mail pinhoderiga@pinhoderiga.com.br , ou acesse o site www.pinhoderiga.com.br  (Fonte: PMC)

Caraguatatuba começa a construção o Centro de Especialidades Médicas

Caraguatatuba - A Prefeitura de Caraguatatuba, em convênio com o Dade (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias), do governo do Estado, está construindo um Centro de Especialidades Médicas para atender toda a população da cidade. O objetivo da construção é diminuir o fluxo de atendimento do Hospital Santa Casa e dos Postos de Saúde da cidade. Com o novo centro, os atendimentos serão centralizados para facilitar o acesso da população aos serviços de saúde pública. A obra do centro médico começou no dia 21 de janeiro. A solenidade de início das obras teve participação de autoridades locais. No projeto está prevista a construção de 90 salas, banheiros e enfermaria. Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Caraguatatuba, a área construída será de 2.208,75 metros quadrados em um terreno de 5.000 metros quadrados. As salas para atendimentos serão no andar térreo, mas a obra inclui a construção de um alojamento destinado aos médicos na parte superior do prédio. O novo Centro de Especialidades Médicas de Caraguá disponibilizará atendimento neurológico, psiquiátrico, psicológico, urológico, oftalmológico, pediátrico, fisioterápico, fonoaudiológico, entre outros, à população. No local, também serão realizados exames como endoscopias e radiografias, além de pequenas cirurgias e atendimentos de enfermaria. O prédio está sendo construído na avenida Acre, no bairro Indaiá. Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Caraguatatuba, a obra do centro médico tem previsão para ser finalizada no final de janeiro do próximo ano. (Fonte: ValeParaibano)

Zoonose orienta moradores do Indaiá sobre prevenção a Dengue
Moradores do Indaiá receberão folhetos informativos sobre prevenção à Dengue, nesta quinta e sexta feira, 6 e 7.

Caraguatatuba - A secretaria de Saúde de Caraguá, por meio da Seção de Zoonose, fará visitas aos moradores do bairro Indaiá, na quinta e na sexta-feira. Os agentes de Zoonose irão orientar e detectar os criadouros nas residências, além de distribuir folhetos informativos.
Segundo o biólogo Ricardo de Souza, a intenção do trabalho no Indaiá é atingir também as casas de veraneio do bairro, já que o período ainda é de férias e haverá muita gente chegando para passar o Carnaval na cidade. Nas casas fechadas, os agentes irão deixar os folhetos informativos e orientar os vizinhos para que eles multipliquem as informações.
O biólogo informou que o arrastão feito pela equipe na semana passada nos bairros Tinga, Rio do Ouro, Casa Branca, Caputera, Olaria, Getuba, Morro do Chocolate e Centro, irá prevenir problemas com a Dengue no Carnaval. Segundo Souza, muita gente está guardando garrafas e pneus em casa para comercialização. “Foram retirados um basculante de entulho por dia, com um grande número de criadouros, o que significa que a população ainda não se conscientizou ”, disse.
*Criadouro é qualquer objeto que possa servir para a proliferação do mosquito Aedes aegipty como vasos e pratos, caixa d´água aberta, calhas, lajes, canos quebrados, garrafas de vidro ou plástico e qualquer objeto ou local que possa acumular água limpa e parada. (Fonte: PMC)

Comissão do Plano Diretor se reúne em Caraguá
Representantes da prefeitura se reúnem para discutir continuidade e finalização do Plano Diretor de Caraguatatuba

Caraguatatuba - Os representantes da prefeitura, que fazem parte da Comissão do Plano Diretor, reuniram-se pela primeira vez no ano, nesta segunda-feira, dia 31 de janeiro, às 15h, na sede da Secretaria Municipal de Planejamento, Economia e Gestão, para darem continuidade aos trabalhos desenvolvidos no ano passado. O Plano Diretor de Caraguá visa planejar o desenvolvimento urbano da cidade de forma ordenada para os próximos 10 anos.
O grupo, composto pelo secretário de Urbanismo, Habitação e Trânsito, Leandro Borella Barbosa, pelo secretário de Obras Públicas, Raul Perci Júnior, pela secretária de Planejamento, Economia e Gestão, Luz Marina de Aquino e o diretor de Obras Públicas, Eloi Marcos de Barros, traçou diretrizes para conduzir a etapa final do Plano.
Os representantes decidiram que as reuniões com o grupo, que está elaborando o Plano (representantes da sociedade civil organizada, Associação dos Engenheiros e representantes da Prefeitura), acontecerão às quintas-feiras na sede da Secretaria Municipal de Educação, exceto a primeira, que acontecerá no dia 16 de fevereiro, quarta-feira. O horário será definido com os outros representantes.
A etapa final do Plano será voltada para alterações, correções, e respostas, para as sugestões não aceitas. O site oficial da prefeitura de Caraguá tem disponibilizadas informações do andamento do Plano, assim como um e-mail para envio de sugestões. (Fonte: PMC)

Itália Fausta lotou platéia do teatro Mário Covas no último sábado 29
A peça teatral Quem tem medo de Itália Fausta foi a última atração de grande porte do projeto Teatro Vanguarda. O público lotou as acomodações do TMC para assistir a comédia dos globais Marcos de Oliveira e Eduardo Martini

Caraguatatuba - O projeto Teatro Vanguarda, realizado por meio de uma parceria entre a Prefeitura de Caraguatatuba, a Fundacc e a TV Vanguarda, agitou os finais de semana durante a temporada de verão, trazendo grandes nomes do teatro brasileiro para o palco do recém-inaugurado Teatro Mário Covas – considerado por grande parte dos artistas que passaram pela cidade em janeiro, o melhor espaço em tecnologia e infra-estrutura do Estado de São Paulo.
Neste sábado 29, o projeto Teatro Vanguarda fechou a temporada de apresentações com chave-de-ouro, com a apresentação do espetáculo “Quem tem medo de Itália Fausta”, que trouxe à cidade os atores globais Marcos de Oliveira (O Beiçola de A Grande Família), e Eduardo Martini.
A comédia, com quase duas horas de duração, arrancou risos da platéia (completamente lotada), do TMC, por meio de quadros e esquetes que trazem como figura central o ponto (que nos teatros antigos era de grande importância para a encenação das atrizes, que tinham seu texto soprado durante a encenação de alguma peça).
Segundo explicou o ator Eduardo Martini “o ponto mostra a tirania pela qual eram submetidas as atrizes no início do movimento teatral. Elas eram presas no contexto do ponto, e comandadas tanto para entrar como para sair de cena”, explicou.
Para Marcos de Oliveira, apesar da comicidade das cenas, o enfoque principal está nas situações pelas quais passa a mulher desde que o mundo é mundo. “Pegamos as cenas escritas e estudamos o drama e a situação ridícula que torna o sofrimento algo patético. Fizemos uma releitura do Itália Fausta, que já tem 25 anos de existência e continua atual. Nosso principal objetivo foi mostrar para o público jovem como começou o teatro besteirol inteligente”, disse.
Os atores afirmaram durante entrevista, que apesar de fazerem papéis femininos, e do exagero nas maquiagens, peruca e trajes, o público não encara as personagens como drag queens, e por esse motivo o público consegue enxergar ali o papel de ator. Outro ponto importante tanto para Marcos de Oliveira quanto para Martini foi a concepção das personagens. “Os figurinos foram pensados especialmente para cada cena. Cada personagem tem sua roupa, sua maquiagem, seu colar. Não é como pegar um sapato velho e usar na peça. Tudo foi concebido para cada personagem, nos mínimos detalhes”, contou Oliveira.
O ator Eduardo Martini explicou que seu primeiro contato com a peça foi em 1980, quando assistiu pela primeira vez a encenação feita pelos autores, Ricardo de Almeida e Miguel Magno no Rio de Janeiro. Em 1997, com a morte de Ricardo de Almeida, Martini acabou sendo convidado a participar da peça ao lado de Magno e após uma temporada, Marcos de Oliveira veio a substituir o autor da peça, entre 1997 e 1998. O projeto, que ficou parado por alguns anos foi retomado pelos atores, que estão produzindo e apresentando a peça há 7 meses, com uma nova estrutura e estudo cênico. Segundo Martini, “estamos iniciando nossa temporada de 2005 em Caraguatatuba, e realizar nossa apresentação num teatro como esse é motivo de muita satisfação para nós. Acreditamos que este é o melhor teatro do Estado de São Paulo. Os atores locais têm de aproveitar esse teatro, e o público tem obrigação de freqüentar esse espaço, em respeito a essa obra grandiosa feita por uma prefeitura. Com uma campanha de formação de platéia, esse teatro será fundamental para o enriquecimento cultural da população”, explicou.
A peça, que teve lotação esgotada no TMC em Caraguá, apresentou várias esquetes e teve diversos momentos de interação com a platéia, principalmente em quadros como “Milena abriu seu diário”, “A professora de Inglês”, “Aracy caiu na poça” e a conferência das professoras “Fanta Maria e Pandora”. (Fonte: PMC)

Caraguá vai sediar Jogos Regionais
Municípios sedes dos jogos se reúnem no próximo dia 28 para definir a data do evento.

Caraguatatuba - Com a desistência do município de Taubaté, Caraguatatuba vai sediar os Jogos Regionais de 2005. O secretário de Esporte e Recreação de Caraguá, Nivaldo Rodrigues Alves, participa de uma reunião com o secretário de Estado da Juventude, Esporte e Lazer, Lars Grael, dirigentes da região e secretários municipais das 6 regiões sedes dos jogos, para definir a data e os municípios que sediarão.
São seis as regiões sedes: São José dos Campos, na qual faz inserida Caraguatatuba e as regiões de Barretos, São José do Rio Preto, Avaré, Araçatuba e Baurú.
De acordo com o diretor de Esportes de Caraguatatuba, Luiz Cláudio P. Ribeiro dos Santos, a intenção é de realizar os jogos na segunda quinzena de julho. “Estaremos acertando a data na reunião. Os dirigentes querem realizar os Jogos na primeira quinzena de julho, mas para o município, a segunda quinzena será ideal porque as escolas estarão em férias”.
O município sediou o evento no ano passado e conta com enorme infra-estrutura. A prefeitura investiu em obras de adaptação como a construção de mais uma piscina, pista de atletismo, salão de jogos, além dos alojamentos.
A secretaria já está preparando os atletas das categorias de base como basquete, vôlei, futsal, futebol, atletismo e outras. Grande parte dos times das Escolinhas irão participar.
Caraguá é a única cidade turística da região a sediar os Jogos Regionais. O município foi destaque no ano passado, sendo considerado pelos dirigentes como a melhor edição dos Jogos, tanto em organização como em infra-estrutura. (Fonte: PMC)

Encerra os campeonato esportivos em Caraguá
Os campeonatos de Beach Soccer, Vôlei de Praia e Skate tiveram suas competições no final de semana, Sábado e Domingo, dias 29 e 30

Caraguatatuba - Os campeonatos esportivos de Beach Soccer, Vôlei de Praia e Skate que fizeram parte do Projeto Verão 2005, tiveram encerramentos no domingo, dia 30, na praça Ton ferreira. As competições esportivas e recreativas tiveram início no dia 13.
O campeonato de Beach Soccer teve a partida final no sábado, dia 29, com competições entre as equipes divididas por categoria e livre.
Na categoria Mirim, a equipe do Carinthinhas venceu o equipe do Olaria de 3X1 e sagrou-se campeão, na categoria Infantil Masculino, o Projeto Futuro não deu chance e venceu a equipe da Praia Soccer de 3X1, na Infantil Feminino a Geração Independente empatou com a equipe Pastoral de 3X3. As equipes disputaram nos pênaltis e a Pastoral levou a melhor e venceu de 2 a zero.
Na categoria livre, a equipe da Folha enfrentou a equipe do Jaraguazinho e venceu de 8X6 e a Adil Car enfrentou a Olaria e venceu de 5X1 sagrando-se campeã. os campeões levaram para casa troféus.
As competições de Vôlei de Praia e Skate aconteceram no domingo, dia 30, na praça Ton Ferreira.
Para ao competição do Vôlei de Praia foram inscritos 13 duplas, sagrando-se campeãs as duplas Michael e Felipe de Caraguá, vice, Wladimir e Cleber também de Caraguá e Hebert e o terceiro lugar ficou com a dupla Hebert e Jair de São Sebastião. As premiação foram troféus para as duplas vencedoras.
A competição de Skate foi dividida nas categorias Mirim, Feminino e Iniciantes. O evento contou com a presença de 62 competidores do Litoral Norte e Vale do Paraíba. Os cinco primeiros colocados de cada categoria receberam medalhas
Confira os cinco primeiros colocados em cada categoria:

Categoria Mirim:
1º lugar - Douglas Luiz - Caraguatatuba
2º lugar - Jonatta Cabral – Ubatuba
3º lugar - Lucas de Oliveira – Ubatuba
4º lugar - Eduardo Sirene – São José dos Campos
5º lugar - Arthur Antônio – Ubatuba

Categoria Feminino
1º lugar – Thatyane Vieira - Caraguatatuba
2º lugar – Paula Juliana – São josé dos Campos
3º lugar – Micheline Nemith - Ubatuba
4º lugar - Estrela Belotti - Caraguatatuba
5º lugar – Giseli Vieira - Ubatuba

Categoria Iniciantes
1º lugar – Fio - Caraguatatuba
2º lugar – Guilherme Ayres - Ubatuba
3º lugar – Bob - Caraguatatuba
4º lugar – Diego Oliveira – Ubatuba
5º lugar – SKHAL Espinosa - Caraguatatuba (Fonte: PMC)

Fundacc realiza Carnaval de Antigamente nas praças de Caraguá
Fundacc promove bailes de carnaval com marchinhas populares, bonecões, concurso de fantasia, blocos mais animados e resgata o carnaval tradicional em Caraguá

Caraguatatuba - Pelo sexto ano consecutivo, a Fundacc - Fundação Educacional e Cultural de Caraguatatuba estará realizando o "Carnaval de Antigamente", animado pela New Band no coreto da Praça Cândido Motta, no centro da cidade. Os bailes acontecerão de 5 a 8 de fevereiro, das 21 às 24 horas, e a matinê, no dia 6, domingo, das 16 às 18 horas.
No repertório, só marchinhas relembrando os carnavais tradicionais de salão. Para animar o público, os bonecões Bié, Filó, Bilózinho e Ritinha estarão participando dos bailes. Este ano também está acontecendo a oficina de empapelamento, com o artista plástico Jac Costa, dentro do projeto "Resgate do Carnaval Popular", resultando nas máscaras e adereços produzidas através da técnica do empapelamento, que farão parte da decoração da praça para o Carnaval. As máscaras e os bonecões ficam à disposição do público para as brincadeiras durante os bailes.
Serão premiadas a melhor fantasia infantil (masculino e feminino), e adulto(masculino e feminino), e o grupo fantasiado mais animado (adulto). Os bailes realizados pela Fundacc têm atraído grande público, na maioria composto por famílias inteiras, relembrando os antigos carnavais de clubes, onde pais e filhos divertiam-se juntos.
Nos coretos das praças do Porto Novo e Travessão, na região sul da cidade, também acontecerão bailes de carnaval realizados pela Fundacc, das 21 às 24 horas. Popó da Percussão e Banda toca no Travessão e a Família Conceição anima o Porto Novo. Nos repertórios, marchinhas, samba, forró, xote e xaxado. (Fonte: PMC)

Programa Ação Litoral

Notícias de Ilhabela Topo

Vulcano Portal da Palmeira

Vereador propõe a cobrança de taxa ambiental de turistas; prefeito apóia

Ilhabela - O presidente da Câmara de Ilhabela, Luiz Antonio dos Santos (PL), o Luiz Lobo, entrará com um requerimento solicitando à prefeitura um estudo sobre a possibilidade da criação de uma taxa de preservação ambiental para se entrar no município.
Seria, conforme o vereador explica, uma espécie de pedágio municipal, dirigida aos turistas que procuram as praias ilhabelenses para curtir suas férias.
"Minha idéia é baseada no que já acontece no arquipélago de Fernando de Noronha (PE) - onde a taxa de preservação ambiental foi criada em 1989 e vigora até hoje".
O vereador comenta que Ilhabela já não tem mais condições de receber bem o número de turistas que chega para passar a alta temporada.
E, segundo Luiz Lobo, isto se reflete principalmente no trânsito, quando por ocasião dos feriados prolongados ou férias de final de ano, a SP-131, única via que liga a cidade de norte a sul, fica congestionada a dar inveja às marginais paulistanas em hora do `rush´.
Lobo atribui parte do problema do trânsito aos turistas de um dia, aqueles que, instalados em outras cidades da região vêm a Ilhabela somente por um dia, para pegar uma praia e visitar o centro da cidade.
"Este turismo de `má qualidade´, atrapalha os negócios. O turista de um dia pouco ou nada consome, não se hospeda nos hotéis e pousadas e ainda atrapalha o trânsito", comentou Lobo.
"É a este tipo de usuário que a taxa pretende atingir".
Além disso, ele explica que há a questão da coleta de lixo e balneabilidade das praias, que podem ficar comprometidas se não se pensar em como conter o grande fluxo de visitantes.
Na verdade, a idéia de cobrar a taxa já não é exatamente uma novidade. O grupo de estudos que elaborava, até o ano passado, um projeto de Plano Diretor, tinha a taxa de preservação ambiental como uma de suas idéias mais afinadas.
O grupo foi dissolvido, as propostas arquivadas, mas as idéias não.
O próprio Lobo, no início da gestão anterior, em 2001, já liderava um grupo pró-pedágio municipal.
"Se o projeto de lei pudesse ser enviado pela Câmara, eu mesmo o faria e apresentaria às comissões, mas isso não é possível, já que a questão esbarra em arrecadação. Todas as leis que envolvam recursos devem ser enviadas à Câmara pelo Executivo", explica o presidente o porquê de apresentar um requerimento, e não logo um projeto de lei.
Atualmente, Lobo está conversando com as associações de Bares e Hotéis e Comercial, procurando com a proposta de cobrança de taxa solucionar também outros problemas da cidade.
Um deles é a sonegação dos impostos municipais pelas pousadas e hotéis que não emitem notas fiscais.
"Havendo um balcão para a cobrança da taxa na saída da balsa, os turistas que ficaram hospedados na cidade, poderiam ter de apresentar notas que comprovassem sua estada. Com isso, eles mesmos, começariam a exigir notas, o que, automaticamente, levaria a uma sensível redução da sonegação", comentou o vereador, que pretende depois do Carnaval passar alguns dias em Noronha para conhecer mais sobre a taxa adotada por lá e suas aplicações em benefício do arquipélago.
Prefeito admite cobrança - Entusiasmado pela proposta, o prefeito de Ilhabela, Manoel Marcos (PTB) acredita na cobrança como uma solução para alguns dos problemas da cidade. "Tivemos uma temporada difícil com relação ao trânsito e nosso sistema viário está ficando muito comprometido".
De acordo com ele, entre o dia 26 de dezembro de 2004 e 6 de janeiro, cerca de 40 mil carros superlotaram a cidade, provocando caos no trânsito e outros tantos transtornos.
"O que o Lobo comenta é que há um tipo de turista que acaba prejudicando a cidade. São os que vêm para a região e só passam o dia aqui, não gastam nada porque trazem tudo no porta-malas e deixam a sujeira. A contribuição desse turista é quase zero".
Para Manoel Marcos, esse não é o perfil do turista que se quer dentro do município. Ele disse que a proposta não virá para atrapalhar o turismo, mas para regulamentá-lo.
"Evidentemente, não se pode penalizar o morador. Essa tarifa deve ser diferenciada para alguns, é algo a ser estudado e aprofundado".
Ele lembra que por ser Ilhabela uma unidade de conservação é possível, a princípio, instituir a taxa voltada para preservação ambiental. (Fonte: Fernando de Santis/Correio do Litoral)

Notícias de São Sebastião Topo

Litoral Virtual Superchic

Definidos Rainha e Rei Momo do Carnaval 2005

São Sebastião - Foi realizada no último dia 29 a eleição do Rei Momo, Rainha, 1ª e 2ª princesas do Carnaval 2005 de São Sebastião. O evento aconteceu às 21h, na Rua da Praia, no Centro da cidade.
Pelo quarto ano consecutivo, a Rei Momo do carnaval sebastianense será o eletricista, Celso Francisco, de 42 anos. Segundo ele o sucesso se deve a sua dedicação. “Procuro passar o melhor de mim para a cidade. Simpatia é fundamental. Além disso acredito que meu samba agrada as pessoas”, destaca o escolhido que recebeu R$ 1.500,000 pela vitória. Os quesitos avaliados para a escolha do Rei Momo foram comunicação, simpatia e samba no pé.
Já a disputa ao posto de Rainha, contou com 10 candidatas, duas indicações por escola e foram analisados quesitos elegância, simpatia, plasticidade, comunicação e samba no pé.
Seis jurados avaliaram o desempenho dos candidatos, sendo eles, os produtores culturais, Carlos Aymar, Giba Pedrosa e Mariza Ambrunhosa; as professoras de dança, Cristiane Rezende e Judith Delgado; além da radialista, Andressa Rodrigues.
Anaildes Jesus da Silva, representante indicada pela escola Acadêmicos de São Francisco, de 20 anos, foi a escolhida para Rainha do Carnaval 2005. A moça possui o segundo grau completo e é auxiliar de odontologia. Ela diz ter ficado surpreendida com o resultado. “Não esperava ganhar. Resolvi participar pois gosto de sambar e alegrar as pessoas”, conta a iniciante que este ano desfila pela primeira vez na escola.
Em segundo lugar, como 1ª Princesa, ficou a outra indicada também pela Acadêmicos de São Francisco, Mariliza Santana, de 17 anos, estudante do 1º ano de matemática. Ela conta que ficou feliz com a vitória e espera poder passar alegria e paz para as pessoas neste caranaval. “Gostei muito de participar. Espero que todos tenham consciência e saibam curtir o carnaval sem violência”, declara.
Já o terceiro lugar ficou para a 2ª Princesa, Gemina de Oliveira, de 23 anos, indicada pela escola Mocidade Independente da Topolândia, que espera conquistar a vitória ao lado de sua escola. “Gosto muito do carnaval, por isso participo. Torço para que esse ano o trabalho da nossa escola seja reconhecido, pois estamos dando tudo de nós”, afirma a carnavalesca.
A Rainha levou para casa um prêmio no valor de R$ 1.500,00, já as 1ª e 2ª Princesas levaram, cada uma, R$ 800,000. Todas têm o compromisso de participar e animar os eventos carnavalescos deste ano.
Telefones para contato com os eleitos:
Rei Momo: (12) 9786-0266 / 3892-5189
Rainha: (12) 9702-4033
1ª Princesa: (12) 3892-3025 / 9778-8102
2ª Princesa: (12) 9143-0442 (Fonte: PMSS)

Seminário propõe ações para novos Prefeitos e Vereadores

São Sebastião - Aconteceu na última quinta-feira (27/01) o “8º Seminário Cepam de Novos Prefeitos e Vereadores” no Memorial da América Latina (Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664) - Metrô Barra Funda, São Paulo.
Este encontro acontece tradicionalmente após o período eleitoral e traz uma série de palestras com o intuito de orientar os novos agentes municipais perante os desafios que as administrações municipais apresentam.
O prefeito de São Sebastião, Dr. Juan Garcia esteve presente na abertura do seminário e de acordo com ele o encontro que o Cepam realiza é muito importante. “A Secretaria de Economia e Planejamento do Estado passa aos novos eleitos uma visão de como funciona a máquina do Estado e também das parcerias que podem ser estabelecidas”, disse.
O evento é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo, organizada pela Fundação Prefeito Faria Lima (Cepam) em parceria com as demais entidades governamentais na busca da diversificação de seus serviços, levando assessoria adequada aos gestores municipais, priorizando a prestação de serviços de efeito multiplicador.
O governador Geraldo Alckmin, destacou em seu discurso a sua experiência como prefeito e enfatizou que os prefeitos hoje não podem pensar somente em grandes obras. "O planejamento, a gestão e o controle são fundamentais. A administração deve se pautar pela eficiência e a austeridade", disse o governador.
Alguns dos temas abordados no evento foram os desafios das administrações municipais, o funcionamento dos serviços públicos, a dinâmica das casas administrativas, tanto no poder executivo como no legislativo.
Cerca de mil pessoas, dentre elas 350 prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, participaram do primeiro dia do evento. Estiveram presentes os vereadores sebastianenses Robson Ceará e Carlos Augusto de Azevedo Senatore, o Guto, o Assessor Parlamentar da prefeitura de São Sebastião, Thirso Silveira Almeida Jr, o Governador do Estado, Geraldo Alckmin, o Chefe da Casa Civil do Governo, Arnaldo Madeira, o secretário de Ciência, Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Turismo do Estado, João Carlos Meirelles, secretário de Energia, Recursos Hídricos e Saneamento, Mauro Arce, o secretário de transportes, Dario Rais Lopes e o superintendente do Sebrae-SP, José Luiz Ricca.
“A reunião foi de muita importância para os vereadores, pois pudemos perceber a forma com que o Estado trata os municípios e os procedimentos que devemos tomar para que nossos pedidos sejam atendidos”, disse o vereador Augusto de Azevedo Senatore, o Guto.
Segundo o Assessor Parlamentar, Thirso Silveira Almeida Jr, “a grande importância da participação da Assessoria Parlamentar é de poder perceber a seriedade com que a nova geração de políticos está tratando a coisa pública, tanto por parte do Executivo, quanto do Legislativo”, conclui o assessor. (Fonte: PMSS)

Projeto de mudança geográfica entre São Sebastião e Bertioga gera polêmica

São Sebastião - A ineficiência de serviços básicos e o descaso dos administradores com a Costa Sul de São Sebastião alimentou mais uma vez a idéia de separação geográfica do resto do Município, desta vez com moldes e propostas diferentes.
O debate foi lançado e a sugestão de alguns moradores daquela região é que a cidade de Bertioga se estenda na direção norte, até o bairro de Boiçucanga, englobando Boracéia, Juquehy, Cambury, Barra do Say, Baleia e Barra do Una.
Conseqüentemente, São Sebastião diminuiria o número de bairros e iniciaria seus limites geográficos a partir de Maresias.
A sugestão para a mudança foi motivada pela difícil locomoção entre os bairros e o centro de São Sebastião, por conta da Serra de Maresias, o que dificulta o trânsito de ambulâncias, bombeiros e viaturas policiais, principalmente nas férias e fins de semana.
Os moradores que encaminharam e-mails à nossa redação explicam que, para não ficarem isolados, teria de existir uma infraestrutura, que segundo eles, poderia ser melhor gerenciada pela prefeitura de Bertioga.
E a proposta gerou polêmica entre os políticos e representantes de entidades da região, que apesar de se mostrarem contrários ao projeto, na sua maioria, são unânimes em afirmar que falta infra-estrutura para atender os moradores da Costa Sul.
O presidente da Federação Pró-Costa Atlântica, Téo Balieiro, apesar de ser contra a proposta, disse que o descaso do poder público com aquela região, acaba fortalecendo o movimento.
"Por exemplo, um professor sai de Boracéia para dar aula no centro de São Sebastião. É um absurdo!", cita.
"Muda-se o governo e o que percebemos é o desprestígio dos políticos em relação à Costa Sul. Acredito que isso ocorra única e exclusivamente pelo potencial eleitoral daquela região".
Balieiro citou ainda os principais problemas enfrentados pelos moradores da Costa Sul, entre eles, lixo, água, esgoto, qualidade das praias, segurança e saúde.
Políticos sebastianenses - O prefeito de São Sebastião, Juan Pons Garcia (PPS), foi categórico em afirmar que em hipótese alguma abriria mão de uma região
geográfica como a Costa Sul.
Quanto à possível parceria entre as cidades, ele declarou que precisa avaliar melhor. "Não é tão simples assim, pois existem implicações em projetos desse tipo".
Porém, Juan Garcia declara estar sempre aberto a ouvir a população da Costa Sul, e até conversar com a administração de Bertioga.
Também contrário ao projeto, o presidente da Câmara de São Sebastião, Wagner Teixeira (PV), disse que essa mudança administrativa tornou-se forte na região por conta da má administração dos recursos públicos.
"É inadmissível que São Sebastião, com o Orçamento que possui, conte com um sistema de saúde tão ineficiente, por exemplo".
Já a questão da parceria foi bem aceita pelo parlamentar. "A parceria entre as prefeituras seria maravilhosa e creio que a possibilidade da implantação de um hospital regional na divisa dos municípios atenderia o anseio e às necessidades dos munícipes", esclarece.
"Acho que a união em prol da comunidade é o mais importante, sem pensar em colher dividendos ou na glória de quem vai ser `o pai da criança ´ ".
...e em Bertioga - O assunto também foi debatido pelos políticos da cidade vizinha. E o prefeito de Bertioga, Lairton Gomes Goulart (PL), assim se manifestou sobre a proposta: "Uma vez que já estamos estruturados para pertencer à Baixada Santista, não seria cômoda essa mudança, até porque nem teríamos condições de atender os problemas que iriam advir dessa nova integração".
Quanto a uma possível parceria entre Bertioga e São Sebastião para a implantação de um Hospital Regional, ele declara ser favorável.
"Atualmente, o sistema de Saúde de Bertioga já atende moradores dos bairros Caruara (na parte continental de Santos), praia Branca (Guarujá) e da Costa Sul de São Sebastião. Mesmo se tratando de saúde, onde, creio, não cabe qualquer tipo de omissão no atendimento, vem a onerar Bertioga. Mas temos muito de pensar e negociar sobre o assunto".
O presidente da Câmara de Bertioga, Luis Henrique Capellini (PL), viu a idéia com otimismo, muito embora reconheça que seria utopia pensar que São Sebastião abriria mão de uma imensa área desenvolvida, que combina belezas naturais e considerável arrecadação de impostos.
"Eu, particularmente, tenho conhecimento que cidadãos de ambas as cidades fazem uso dos sistemas de saúde. Os moradores da Costa Sul de São Sebastião usam as especialidades que Bertioga oferece na área médica", explica. "E os de Bertioga, que não possuem atendimento médico emergencial durante a noite, são obrigados a se dirigirem ao Pronto-Socorro de Boiçucanga".
Como forma de atenuar os problemas comuns nas duas cidades, Capellini acha que o ideal seria estabelecer uma parceria entre as administrações municipais, como já existe na aldeia guarani do rio Silveiras, comunidade habitada por índios.
"Poderíamos, por exemplo, implantar em Boracéia uma unidade que abrigasse um hospital regional ou policlínica, assim como uma guarnição do Corpo de Bombeiros e destacamento da Polícia Militar, que são reivindicações da população da região"
Palavras do deputado - Não bastasse a discussão envolvendo políticos e população, parece que a proposta teria de ter o aval e a aprovação da Assembléia
Legislativa, pois mexeria com a disposição geográfica dos municípios.
Para o deputado estadual Marcelo Bueno (PTB), a idéia do desmembramento está fora de cogitação. "O ideal seria prover a região de meios que contemplem a população como saúde e segurança".
Ele diz ser amigo dos prefeitos e se a solução for uma possível parceria entre os municípios, ele estaria solidário, interagindo com o governo do Estado na tentativa de uma possível liberação de recursos para a construção, por exemplo, do tão almejado hospital regional e uma guarnição do Corpo de Bombeiros na divisa dos municípios. "Quero apenas o que for melhor para a população da região". CORREIO

Pastor Paulo Correia abre o jogo sobre o caso Leopoldino

São Sebastião - O pastor-presidente do Ministério de Santos da igreja Assembléia de Deus, Paulo Alves Correia, e o pastor José Luiz Vieira Neto, responsável pelo Litoral Norte, estiveram na última semana visitando o prefeito eleito de São Sebastião, Juan Pons Garcia (PPS), com o objetivo de abençoar a nova administração.
Logo depois da visita, Correia concedeu uma entrevista coletiva à imprensa e esclareceu os motivos do encontro, a situação da igreja na região, bem como as polêmicas envolvendo o vereador reeleito de São Sebastião, Marcos Leopoldino (PTB).
"Viemos abençoar o prefeito e desejar que ele faça uma boa administração. Acredito que já exista uma parceria, pelo fato de que dentro do próprio gabinete, existam dois funcionários evangélicos, como por exemplo, o chefe de gabinete, Emerson Elias".
Mas o assunto debatido pelo pastor foi em relação ao vereador Marcos Leopoldino, pertencente à Assembléia de Deus, que até pouco tempo era tido como `xodó´ da cúpula da igreja, apreço esse desgastado pelas frequentes denúncias de suposta corrupção envolvendo o parlamentar, à época em que ainda presidia os trabalhos do Legislativo sebastianense.
"Vou dizer e seguir o estatuto. Qualquer membro que for condenado pela Justiça comum em processos, será automaticamente desligado da igreja".
Ele esclarece que a igreja não vive, muito menos, participa de jogo de interesses.
"Mas não vou ser hipócrita em dizer que não apoiamos este ou aquele candidato".
Questionado quanto à imagem da igreja por conta dos escândalos envolvendo Leopoldino, o pastor foi categórico.
"A igreja é imaculada. O ato de um membro não pode ser estendido. São seres humanos que estão propensos a recaídas".
Mas ele cita que o Ministério de Santos sofreu desgastes, tudo por conta do que vinha ocorrendo em São Sebastião, aumentando ainda mais, depois de um suposto anúncio de que Leopoldino seria candidato a vice do exprefeito Paulo Julião (PSDB) nas eleições de outubro.
"O Paulo (Julião) foi um prefeito amigo, nada mais que isso. Não sou vidente, mas a voz popular apontava que o Juan (Garcia) iria levar a eleição, por conta até das denúncias envolvendo o nome do exprefeito e pela própria insatisfação popular com sua administração".
Confira outros trechos da entrevista:

CORREIO DO LITORAL: Mas antes de tudo isso ocorrer, cogitou- se a idéia de Marcos Leopoldino ser candidato majoritário. Por que não deu certo?
Paulo Alves Correia: Como eu já disse, tudo levava a crer que o Juan (Garcia) levaria com facilidade e nós não poderíamos arriscar naquela altura do campeonato.

CL: E quais foram os motivos que levaram o então presidente da Câmara a desistir de ser o vice de Paulo Julião, no apagar das luzes das convenções partidárias?
PAC: Olha, na verdade ocorreu o seguinte: no último dia para a realização da convenção, o Leopoldino me ligou e me pediu um conselho. Novamente, eu o alertei que seria risco sair como vice do Paulo (Julião). E ainda disse a seguinte frase: "O Titanic do Paulo vai afundar". E impomos que se ele fosse vice do exprefeito,a igreja não o apoiaria. Sugerimos que saísse como candidato a vereador.

CL: Então podemos dizer que a desistência de Leopoldino teve a interferência da cúpula da igreja?
PAC: Sim, e veja que não erramos, mas lógico que ele ouviu também o Marcelo Bueno e o Campos Machado (deputados estaduais e líderes do PTB no Estado). Ele foi eleito por mais quatro anos e pode agora, colocar a mão na cabeça e ver as besteiras que fez, para quem sabe, num futuro próximo, sair como candidato a prefeito.

CL: Por que a igreja escolheu o PTB para ser a legenda preferida entre os evangélicos?
PAC: Na verdade, a decisão é de cima, lá de Brasília, mas o PTB é o partido que nós nos identificamos.

CL: No Litoral Norte, o PTB, ao lado do PSDB e PL foram os partidos que mais elegeram políticos para cargos públicos nas últimas eleições municipais, alguns deles, evangélicos. O senhor acha que o apoio da igreja alavancou esse fortalecimento regional do partido?
PAC: Olha, a igreja tem uma tremenda força. A igreja católica tem seu espaço, assim como a maçonaria, agora, chegou a vez dos evangélicos conquistarem isso.

CL: As eleições de 2006 estão aí e a região, pela falta de um representante, elegeu Marcelo Bueno como o nome dentro da Assembléia Legislativa que luta pelos interesses do Litoral Norte. Em função do crescimento do PTB na região, o senhor acredita que possa surgir outro nome para disputar uma vaga de deputado estadual, como por exemplo, o prefeito de Ilhabela, Manoel Marcos, que pelo carisma e a boa administração, se tornou líder nato regional?
PAC: O partido não é do Marcelo Bueno. Acredito que tenha um nome sim, só que o candidato da igreja ainda continua sendo o Bueno. Em relação a Manoel Marcos, acredito que seu interesse esteja circunscrito a Ilhabela. Acho que ele não trocaria, pelo menos agora, administrar Ilhabela para ser deputado, que no meu conceito, é um simples despachante de luxo. /(Fonte: Acácio GomesCorreio do Litoral)

Notícias de Ubatuba Topo

Restaurante Solar das Águas Cantantes Mary´s Casa na Fortaleza

Ubatuba diz não à dengue
Mobilização contra o Aedes aegypti atinge objetivo

Ubatuba - A população de Ubatuba mostrou no ultimo sábado, dia 29, que quer manter a dengue fora de circulação. Centenas de voluntários percorreram os bairros da região central até o Parque dos Ministérios na caça aos criadouros do mosquito transmissor da doença. A Secretaria Municipal de Saúde orientou mais de seiscentas pessoas, entre funcionários públicos e representantes de associações de moradores dos bairros envolvidos. A Secretaria de Obras colocou seu maquinário para a limpeza de ruas e terrenos baldios. As escolas municipais também receberam atenção especial com o intuito de eliminar qualquer foco onde as larvas e ovos do mosquito pudessem estar abrigadas.
A recepção da população e dos turistas aos orientadores e coletores foi a melhor possível. O prefeito Eduardo César, seu vice, Domingos dos Santos e todos os Secretários Municipais, também participaram da campanha intitulada “Ubatuba Sim, Dengue Não!”. Em várias residencias, foram encontradas larvas em recipientes que estavam ao relento. Todo material recolhido foi encaminhado para análise.
Após participar ativamente da campanha no período da manhã, o prefeito Eduardo César pode constatar que o perigo existe e chamou a população a prosseguir na campanha. “Agora é hora da população estar atenta ao transtorno que isso pode causar, não apenas para o turismo, que é nossa principal fonte de renda, mas para a saúde de todos os moradores”, afirmou o prefeito. O chefe da Vigilância Sanitária de Ubatuba, Antonio Jorge Silveira, deve divulgar no final da tarde de segunda feira, os números da campanha, mas já está agendando a próxima. “Em todos os locais que estivemos, pudemos notar a infestação do caramujo africano, e esse é o nosso próximo alvo”, declarou Silveira.
Problema no quintal de casa – A dona de casa Vera Braz, moradora do Ipiranguinha, não tinha idéia do perigo existente no quintal de sua casa. Com muitas bromélias e vasos com pratinhos, o local armazenava vários pontos onde foram encontradas larvas do Aedes aegypti. O prefeito Eduardo César participou da vistoria, acompanhado do chefe da Vigilância Sanitária e da bióloga Aline Kita Lourita, que orientou a moradora como proceder para manter as plantas sadias, sem o correr o risco de aumentar a proliferação dos mosquitos. “Agora vou prestar mais atenção para evitar o acúmulo de água nas plantas. Aprendi a manter meu jardim bonito sem causar problemas para a cidade”, disse Vera. (Fonte: PMU)

Comissariado fiscaliza o ingresso de menores em casas noturnas
Disk-Denúncia e disk-aconselhamento já estão funcionando na Fundac

Ubatuba - O Comissariado de Menores, em parceria com a Fundac (Fundação da Criança e do Adolescente) de Ubatuba está realizando um trabalho de fiscalização nas casas noturnas do município, com o objetivo de coibir a entrada de adolescentes em locais não autorizados.
Os 16 comissários de menores voluntários visitam boates, casas de shows, bares e “lan houses”, com mandado de constatação, averiguando se está havendo consumo de bebidas alcoólicas por menores e se os horários estão de acordo com o alvará do estabelecimento. Os comissários orientam os proprietários sobre como agir para ficar em conformidade com a lei.
A multa para os proprietários infratores é de 3 a 20 salários mínimos. Os menores surpreendidos pelos comissários são encaminhados para a sede da Fundac, onde aguardam a chegada dos pais para buscá-los. Segundo o chefe do comissariado de menores, Luiz Carlos Castilho Jr., mais conhecido como Tutinha, essa ação visa evitar que os adolescentes tenham contato com álcool e drogas nessa fase de formação. “Temos que trabalhar para que o jovem tenha uma vida saudável, estudando e praticando esportes. O uso de álcool e drogas nessa fase pode retardar o desenvolvimento moral do adolescente e causar dependência”.
Já está em funcionamento na Fundac, um disk-denúncia e um disk-aconselhamento, nos quais, os cidadãos e familiares podem buscar orientação, bem como contribuir para que o trabalho seja efetivo. As pessoas que tiverem interesse em participar do comissariado de menores também podem entrar em contato pelo telefone 3832-1421.
Principais artigos da Lei - De acordo com a Lei 8.069/90, que regulamenta o ingresso de crianças e adolescentes em espetáculos e divertimentos públicos, o menor deve freqüentar eventos classificados como adequados à sua faixa etária. É considerado adolescente o jovem com idade entre 12 e 18 anos.
Os proprietários dos estabelecimentos devem afixar em lugar visível, na entrada, informações sobre a natureza do espetáculo e faixa etária especificada no certificado de classificação. O consumo de bebidas alcoólicas é proibido para menores de 18 anos, portanto, o uso de uma placa informando esse artigo é obrigatório também.
É proibido transportar adolescentes em vans e ônibus para bailes.
Em relação ao carnaval, a lei prevê que é permitida a freqüência de adolescentes com idade superior a 15 anos, sendo vedada a venda de bebidas alcoólicas aos menores de 18 anos. (Fonte: PMU)

Charles Medeiros recebe empresário da aviação comercial

Ubatuba - Em contato com empresários ligados a área da aviação comercial, o vereador Charles Medeiros recebeu do gerente comercial da Puma Linhas Aéreas, Marcelo Paredes, uma comunicação positiva referente ao uso do aeroporto de Ubatuba. Segundo Paredes, será necessário uma série de estudos operacionais e da coleta de dados estatísticos para o planejamento de uma nova rota.
"Embora operando distante da área solicitada pelo vereador, a empresa não descarta a possibilidade de expansão de seus serviços", conclui Paredes.
Medeiros esclarece que o ofício com o seu pedido já está no Departamento de Planejamento e Estatística da empresa. "Não é possível que o Aeroporto Estadual Gastão Madeira de Ubatuba, único aeroporto do Litoral Norte Paulista, e que após passar por uma grande reforma, com um investimento de tamanha monta, esteja operando muito abaixo de sua capacidade, esteja esquecido", lamenta Charles Medeiros. (Fonte: Ezequiel dos Santos)

Definido os novos Coordenadores dos Grupos Setoriais da Fundart

Ubatuba - Nesta segunda-feira, dia 31, a Fundart - Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba realizou a eleição anual que escolheu os novos Coordenadores e Suplentes dos Grupos Setoriais, os quais integrarão em 2005 o Conselho Deliberativo da entidade.
Após a apuração, ficou definido o seguinte quadro:

Grupo Setorial de Artes Cênicas e Dança
Coordenador: José Antonio Gordilho Teixeira de Freitas
Vice-Coordenadora: Paula Ferreira Tura

Grupo Setorial de Fotografia, Cinema e Vídeo
Coordenador: Emilio Campi
Vice-Coordenador: Sidney Borges da Costa

Grupo Setorial de Música
Coordenador: Isaac Alves
Vice-Coordenador: Valdecy dos Santos

Grupo Setorial de Folclore e Tradições Populares
Coordenador: Júlio César Mendes
Vice-Coordenadora: Marisa Taguada

Grupo Setorial de Artes e Plásticas
Coordenador: José Paulo Alves Barreto
Vice-Coordenador: Ademar Costa Simões

Grupo Setorial de Literatura
Coordenador: Luiz Roberto de Moura
Vice-Coordenador: Eduardo Antonio de Souza Netto

Grupo Setorial de História e Geografia
Coordenador: Carlos Augusto Rizzo
Vice-Coordenador: Pedro Paulo Teixeira Pinto

Segundo o presidente da entidade, Martiniano Nelson Viana, será marcada uma data para solenidade de posse tanto do presidente, como dos coordenadores e suplentes eleitos. (Fonte: Litoral Virtual)

Ação Litoral
 
Artigo Topo

Zoneamento Ecológico
Irineu Nalin

"Se houvesse um Tribunal Mundial para causas ecológicas, certamente seriamos condenados" - Ennio Candotti, presidente da SBPC.

O Decreto Estadual 49215, de 7/12/04, que traça diretrizes de ocupação na faixa costeira do Litoral Norte, constitui-se em importante instrumento ao planejamento urbano dessas cidades. Veio com pelo menos trinta anos de atraso.
Apesar dos muitos críticos atuais ao processo de ocupação dessa faixa litorânea, ocorrida em função de residências de veraneio, devemos lembrá-los de que isso se intensificou a partir da década de 70 (época do milagre brasileiro) que proporcionou essas condições.
Foi uma importante alternativa ao desenvolvimento dessa orla que desde o fim da escravatura entrara em declínio com seus engenhos e sem outra atividade a não ser a pesca e banana, de forma muito artesanal. Projetos fracassados como: a Fazenda dos Ingleses ou a introdução do cacau por Adhemar de Barros e, mesmo o Terminal da Petrobrás, etc., não alavancaram tanto a região como os investimentos nesses imóveis.
A realização desses investimentos exigiu mão de obra e com isso ocorreu uma migração intensa. Parte dela estimulada por políticos provincianos com objetivos eleitorais, os quais não tiveram visão para estabelecer o planejamento urbano, mesmo contando com o apoio do Governo do Estado, através da extinta SUDELPA, de forma a conciliar espaços adequados a essa população, que logicamente passou a ocupar áreas impróprias, sem infra-estrutura e que hoje canalizam grande parte dos investimentos públicos para tentar corrigir essas distorções.
O projeto da Rio-Santos surgido no regime militar e que ficou paralisado em Ubatuba, contava com a consultoria de técnicos franceses e, através de uma metodologia própria previa, através de índices, coeficientes de ocupação em cada praia, de forma a dimensionar os equipamentos necessários, sem saturação. Faltou legislação que consolidasse isso.
O que vem com muito atraso e deficiências a ser esse "zoneamento ecológico", que logicamente tem que aceitar os assentamentos inadequados existentes, pois não há recursos públicos disponíveis para corrigir os erros. É mais ou menos o que lamentavelmente se transformou um dos mais lindos espaços da costa brasileira - o Rio de Janeiro, com seus morros ocupados e seus reflexos, uma constante na mídia.
Entretanto, o que não pode é esse instrumento querer, a pretexto de liberar novas áreas e ignorar, por exemplo, um dos mais avançados projetos do litoral, fruto da concepção de urbanistas da equipe de Lúcio Costa e, simplesmente pintar o mapa de marrom (Z4) uma vasta área ocupada por riachos, rios, cachoeiras, muita mata e mangue que drena as águas pluviais que descem da altura de 700 metros nas encostas da Serra do Mar, com a permissividade de tudo aquilo que essa zona prevê, mesmo considerando-se suas exigências.
Uma área adequada sim para abrigar um amplo Projeto que o município não dispõe como complemento ao turismo (Horto Florestal, Jardim Botânico, Viveiro de Mudas, Base de Pesquisa Universitária para cursos de ecologia, com opções ao eco-turismo), como foi sugerido na gestão do prefeito João Siqueira, que gostou muito da idéia desse Projeto mas, não levou isso adiante. Agora, existe muita pressão de especuladores imobiliários para ocupá-la de forma a desfigurá-la com aquilo que o mercado hoje demanda: imóveis de baixo valor comercial.
A praia de Guaecá em São Sebastião é o cartão de visita da cidade, por ser a mais próxima em mar aberto, pela qualidade atestada pela Cetesb, por suas belezas naturais, possibilitando ao turista: ótimos banhos, com a sua alternância em ciclos de "piscina natural - ondas para o surfe", dispõe de belos costões para pesca e trilhas com belas cachoeiras na exuberante mata atlântica. Mas, tem uma capacidade de suporte que com a abrangência dessa Z4, tenderá a saturação. Seu manancial a abastece de água com abundância suficiente para suprir também Barequeçaba e Pitangueiras mas, como sabemos: isso tem um limite. Sua transformação em alta densidade, inevitavelmente colocará em risco a qualidade, pois a solução dos efluentes implicará na construção de um emissário, com os conhecidos problemas que acarreta.
A nova gestão municipal (executivo e legislativo) precisa agir com maturidade suficiente para não cometer sérios erros que as futuras gerações não perdoarão. O instrumento necessário e de autonomia do município é a legislação de uso do solo e, os técnicos do meio ambiente estadual antes de pintar um mapa deveriam se dar ao trabalho de ir a campo constatar o que a aerofotogrametria não pode detalhar. Existe ainda parte do que restou do mangue (Protegido por Lei Federal) debaixo dessa mata, que essa sinalização condena a se transformar em aterro, como o que já está ocorrendo com parte dele.
As conseqüências são previsíveis: o ecossistema não suportará, os danos e perdas serão tanto publico como privado, ao contrário do ocorrido com a brilhante medida tomada na gestão inicial do Prefeito Alberto Mourão e seu Projeto de urbanização da orla do município de Praia Grande que recuperou a degradação a que estava entregue, com conseqüente valorização dos imóveis.
Ir.28/01/05

Consulte Aqui Artigos Anteriores
http://www.litoralvirtual.com.br/irineu.htm

Sobre o mesmo tema:

Planejamento urbano ou mais um festival de interesses ?
http://www.litoralvirtual.com.br/noticias/2003/10/22.html#Artigo

Preservação e Planejamento
http://www.litoralvirtual.com.br/noticias/2004/07/01.html#artigo

Opinião Topo

Vida de Gado
Ronaldo Dias

"O Bradesco lucrou R$ 1,058 bilhão no último trimestre do ano passado e terminou 2004 com um lucro líquido de R$ 3,060 bilhões. O resultado no quarto trimestre de 2004 foi 40,7% maior ao alcançado no mesmo período de 2003, de R$ 715 milhões. O lucro líquido foi superior em 33% ao do ano anterior, fechando com 3,060 bilhões contra R$ 2,3 bilhões".

Lendo esta notícia, ficamos inconformados quando vamos ao banco e, somos obrigados a enfrentar demoradíssimas filas para ser atendido por um (dos cada vez mais reduzidos) caixas ou aguardando, também em filas sem fim, para utilizarmos uma máquina (que funciona mal) quando não esta “fora do ar” ou em “manutenção” (que se na verdade houvesse manutenção, não estaria fora de funcionamento) para depositar, pagar ou consultar. Será que parte destes lucros bilionários, (em apenas um trimestre do ano), não poderia reverter em melhor serviço e atendimento aos clientes e/ou usuários que, na verdade, contribuíram de alguma forma para este vergonhoso lucro? Seriam as filas necessárias ou justificadas? Ficar nas filas, obedecendo ao pedido, quase sempre mal educado e desnecessário, do garoto Bradesco, para manter-se nas faixas amarelas é, quase ser tratado como gado.
Teriam, os dirigentes do banco, sido contaminado com desvios de personalidade e, de comportamento e, estes desserviços à população, seriam uma forma de gozo destes desequilibrados? Um pluz de gozo–prêmio, como um bônus pelos lucros auferidos? Dinheiro não é tudo, não é verdade? Ou será, pela placa que vi hoje no Bradesco “ Pague suas contas de água, luz e tel... nas agências do correio” que o lucro, desta atividade IMPRODUTIVA é, oriunda da irracionalidade das taxas SELIC do Palocci? É IMPRODUTIVA, (e dá lucros bilionários????) que tal, como faz o MST nas fazendas (improdutivas), socializarmos tão lucrativa atividade? Tem alguma diferença dos objetivos do MST? Não é semelhante? Em nome da distribuição de renda, vamos quebrar, invadir e dividir! Se o MST pode, nós também podemos. Somos iguais perante a lei! Eu, como um dos integrantes do SLE “Sem Lucros Estratosféricos”, quero os trocados que me couberem! Este poderia ser um tema para uma boa “luta”. O que me diz companheiro? Coloca o chapéu Lula?

Ronaldo Dias
Ubatuba, SP

Crônica Topo

Show, rapa fora!
Dayse Day

Tudo combinado. Os meninos já estavam com seus ingressos aguardando o tão esperado show do Rappa. No fundo, no fundo, eu também queria ir, mas não tinha companhia. E, fala sério, mãe quarentona sozinha acompanhando dois adolescentes de 16 anos, filho e amigo, não é um programa divertido para nenhuma das partes.
Foi quando eu soube, já na quinta-feira, dia do show, que a censura do espaço era 18 anos. Menores, só acompanhados dos pais. Animei e acabei encontrando uma amiga que iria ao show. Combinamos de nos encontrar num ponto da cidade às onze.
Nossa, que expectativa. Só o tempo não estava ajudando... o dilúvio não dava uma trégua e, para piorar, estava frio e ventava pra dedéu.
Oito e meia, começo a produção. Escolhe a roupa, passa um ferro, banho, escova e chapinha no cabelo e aquela maquiagem que demora horas por que a intenção é transformar tudo até parecer ter uns 25.
De repente, lembrei que por cima do exuberante e decotadíssimo macacão de crepe preto eu estaria usando um sobretudo hiper fashion, também preto, para chegar tipo star mesmo. Mas o ingresso era do baratinho, para pista, nada de camarote ou espaço vip. Onde guardá-lo depois da chegada teatral?
Corri na bolsa e peguei o panfleto de divulgação do show onde constavam dois números telefônicos da casa, celulares... Pensei comigo, com o corre-corre da construção para inauguração do espaço já para essa temporada e o boato confuso a respeito do embargo e desembargo da obra, os caras nem perderam tempo em solicitar a instalação de uma linha telefônica. Que coisa, uma casa para nove mil pessoas sem telefone...
Disquei para o primeiro número.
Alô? Por gentileza, vocês tem serviço de chapelaria?
O quê?????
Vocês tem serviço de chapelaria?
Hã, temos, mas hoje não vai funcionar.
Como assim?
É, hoje não vai funcionar....
E como eu faço com o meu casaco?
Não precisa, dá para ficar embaixo dos quiosques e estaremos vendendo capas de chuva.
Mas eu não quero capa de chuva, quero guardar meu casaco.
Hã... liga daqui a cinco minutos que eu vou ver.
Pô, só faltou o cara perguntar se eu queria serviço de chapelaria para guardar meu chapéu! Seguindo esse brilhante raciocínio, para casaco, casacaria... para bolsa, bolsaria.... e para o guarda-chuva, guarda-chuvaria.... Melhor ligar no outro número.
Alô? Vocês tem serviço de chapelaria?
Temos sim senhora.
Que bom, e qual é o valor da taxa?
Três reais.
Valeu, obrigadinha.
Voltei à produção da maquiagem, digo, máscara, tipo propaganda enganosa que tem por objetivo conquistar elogios e cantadas dos garotos para voltar pra casa com o velho ego massageado.
Na hora de sair resolvi confirmar se eu teria mesmo onde guardar meu casacão. E, caso ocorresse algum problema na chapelaria, como o danado tem capuz, eu diria que não era um casaco, era um “chapéu longo”.
Fui no primeiro número de novo.
Alô? Desculpe, mas estou ligando para confirmar o serviço de chapelaria.
É, mas eu já disse que hoje não vai funcionar.
Mas eu liguei no outro número e o moço falou que estaria funcionando.
Aquele cara é do administrativo, ele não sabe. Não vai ter mesmo. Desligou.
Não me dei por satisfeita e liguei no segundo número novamente.
Alô? Desculpa, mas estou querendo confirmar o serviço de chapelaria pois o moço que atende no outro celular disse que você é do administrativo, não sabe nada e não vai ter.
Ele é que não sabe nada, sou um dos sócios e o serviço vai funcionar. Olha, estou indo até a chapelaria e... olha só, estou em frente e ela está aberta!
Puxa, muito obrigada mesmo.
Saí de casa maravilhosa. Fui a primeira a chegar ao ponto de encontro onde fiquei aguardando minha amiga com sua prima e os meninos, que haviam saído antes de mim para passar na casa de uns amigos.
Onze e dez os meninos chegaram dizendo que o show havia sido cancelado, mas que o dinheiro gasto nos ingressos seria devolvido e, por conta do transtorno, estava liberada a entrada na casa para uma balada normal.
Após alguns minutos de profunda frustração, liberei-os para ir e continuei aguardando minha amiga para dar a notícia do cancelamento do show, não da balada.
Fiquei plantada até vinte para meia-noite e nada. Isso sem falar que o tal ponto de encontro era na calçada da feirinha do Cruzeiro. Nem num barzinho era... plantada na calçada mesmo.
Deu meia-noite, virei abóbora e corri pra casa! Um espetáculo...

Dayse Day
Ubatuba, SP

Carta do Leitor Topo

Carta aberta à população - A Sociedade Amigos do Juquehy - SAMJU – tem algumas explicações a dar à população do bairro e de São Sebastião.
A SAMJU sempre teve tradição de colaboração com o poder público no sentido de aumentar a qualidade de vida no bairro e uma prova disso é que o prédio que até hoje serve como Posto de Saúde foi construído pela SAMJU.
O primeiro telefone público de Juquehy foi instalado pela SAMJU.
Providências no sentido de melhorar a segurança no bairro também sempre foram tomadas pela SAMJU e ainda recentemente conseguimos colocar aqui o embrião do que virá a ser a 4a delegacia de Polícia do bairro.
A Polícia Ambiental veio para Juquehy pelos esforços da SAMJU, que colaborou inclusive na construção da casa e no recheio da mesma: móveis, geladeira, fogão, utensílios de cozinha.
A SAMJU sempre colaborou com as escolas de Juquehy e continua fazendo isso.
O projeto básico da rede de coleta e tratamento de esgotos foi bancado pela SAMJU com a ajuda da comunidade.
A SAMJU tem agora, nesta gestão, o mais ambicioso projeto jamais feito por uma sociedade de amigos, que prevê construção de portal e guaritas nas entradas do bairro, novo prédio para a regional de Juquehy, creche, novo prédio para posto de saúde, prédio para a 4a Delegacia de Polícia e transformação do prédio da SAMJU em centro cultural e social do bairro. Tudo isso sem onerar os cofres públicos. A SAMJU também pensa em colaborar com a Prefeitura Municipal num reordenamento do bairro e na implantação de conjuntos habitacionais para população de baixa renda.
Posto isso, gostaríamos de informar à população que já no dia da posse solene da nova diretoria, em maio de 2004, foram apresentados ao então Prefeito os planos para construção dos portais e das guaritas, início do ambicioso projeto de obras para Juquehy. No final da sua gestão, depois de assinar convênio com a SAMJU, o Prefeito Paulo Julião nos declarou que poderíamos dar início à construção dos portais e guaritas. Surpreendentemente recebemos embargo das obras, embargo esse efetuado pelo prefeito recém empossado, Dr. Juan Garcia. Fomos até ele, e, numa conversa franca, ficou estabelecido que respeitaríamos o embargo e providenciaríamos a documentação exigida, uma vez que, segundo ele, os documentos solicitados pelo prefeito anterior não eram suficientes. Nestes primeiros dias de janeiro um de nossos diretores esteve várias vezes na Secretaria de Obras e foi fazendo a entrega de tudo o que era exigido.
O portal principal já estava construído e as duas guaritas, uma ao lado da ponte do rio Juquehy e outra do lado de Barra do Una estavam praticamente construídas. Nos dias que se seguiram ao embargo, sem conhecimento da SAMJU o empreiteiro contratado finalizou a construção, colocando os telhados. Eis que, no dia 25 de janeiro, fomos surpreendidos com a demolição total das duas guaritas, ato esse que classificamos como autoritário, de inimizade para com a SAMJU e para com o bairro.
Importante que se enfatize que a SAMJU fez tudo dentro da legalidade: entregou toda a documentação exigida e foi autorizada pelo ex-Prefeito a realizar as obras. A pressa se deveu ao fato da temporada de verão estar iniciando e à necessidade de se proteger a população. Inclusive existe, assinado, Termo de Compromisso entre a Prefeitura e a SAMJU objetivando a edificação das obras contidas no plano da SAMJU.
Não tiramos do poder público o direito de decidir, embargar, multar, demolir. O Prefeito foi eleito, sua autoridade deve ser respeitada e suas ordens cumpridas. O que discutimos é a maneira como a demolição foi realizada, intempestiva e com a presença de Polícia Militar, como se fossemos bandidos ou uma horda de desordeiros e não uma sociedade de amigos que trabalha pelo bairro há 26 anos. Deveríamos, pelo menos, como manda a lei, receber um Auto de Demolição. O que temos em mãos, entregue pelos funcionários que procederam à demolição são Autos de Apreensão (Autos 15006 e 13610)
O Prefeito Dr. Juan Garcia afirmou, numa reunião da Federação Pró Costa Atlântica, e quando ainda era candidato, que desejava parceiros. Mas parceiros não podem ser tratados dessa forma. Ainda mais parceiros que se propõem ao programa de construções que a SAMJU pretende realizar: uma creche, um posto de saúde novo, a delegacia de polícia, um prédio novo para a regional e um centro social e cultural para o bairro.
Achamos que o projeto é demasiadamente grandioso para ser desprezado pelo Poder Público. Por que se as coisas forem, assim, tão difíceis, a SAMJU desiste. Não adianta dar murro em ponta de faca. Quase um ano para estudos, apresentação, elaboração de projetos e aprovação das obras pelo ex - prefeito e, em seguida, a demolição pelo prefeito atual, para nós, é demais. Preferimos, dessa forma, ir para casa, como se diz vulgarmente. Ou passar a vir a Juquehy apenas para tomar sol e curtir a praia, como, aliás, faz a maioria, deixando ao Poder Público a função – aliás, obrigação! – de construir novo posto de saúde (o atual é pequeno e foi erguido por nós em 1976); creche e delegacia de polícia que a população não tem; novo prédio para a regional, (o atual é um lixo!); e centro cultural e social onde pretendíamos instalar biblioteca, sala de cinema e vídeo, museu da memória caiçara e salas de aulas e convivência.
Vamos deixar que o Prefeito Dr. Juan Garcia escolha: quer, realmente, parceiros ou vai continuar dificultando o nosso trabalho? E medindo forças conosco? Quanto a nós, não queremos medir forças com ninguém, muito menos com o Prefeito. Que foi eleito e deve ser respeitado, mas que também pode ser questionado em suas atitudes. Em matéria de medições, no máximo vamos querer medir o tamanho do IPTU que pagamos sem que nada se faça pelo bairro.
A SAMJU vai ressarcir os empresários que construíram as duas guaritas e aguardar os acontecimentos. Enquanto isso a população de Juquehy continuará desprotegida e à sanha dos bandidos que infestam a região. Enquanto a violência grassa no Litoral Norte e por toda a parte a Prefeitura de São Sebastião destrói as defesas que pretendíamos colocar no bairro. Como é que ficamos?
Esta a explicação - e o desabafo - que a Sociedade Amigos do Juquehy pretendia fazer.

A Diretoria da SAMJU
Juquehy, São Sebastião
28 de janeiro de 2005


Carta Resposta à Senhora Secretária de Educação da Prefeitura de Ubatuba - Em atenção à contestação a nossa “Carta Aberta” e que VSa. mandou publicar no Litoral Virtual do dia 28.01.05, informamos que desconhecemos a matéria publicada pela Sra. Ana Carolina Muri que, conseqüentemente, nela não nos apoiamos para registrar o desencontro de informações e as contradições delas decorrentes dos diversos porta-vozes dessa Secretaria Municipal de Educação.
A contradição a que nos referimos ocorreu em reportagem divulgada, pela Rádio Costa Azul - Jornal da Manhã - com comentário, sobre a contradição do Repórter que apresentava o jornal, aos 27.01.05.
Nessa reportagem uma pessoa de sua assessoria que lá foi citada com seu prenome, pronunciou a frase que registramos na Carta Aberta. Para sair de suas dúvidas ouça a fita daquele noticiário e conferirá como estou dotado de razão e verdade. São “galhos” decorrentes da diversidade de informantes ou porta-vozes. Um informante comentou os problemas da EMEI-CENTRO, outro, minutos depois, com bastante serenidade e bom senso, a situação global do município.
Em relação a sua afirmativa publicada no jornal “A Cidade” de 29.01.05 – Página 05: “a Prestação de Contas da Secretaria da Educação publicada nos jornais não condiz com a realidade que encontramos” tenho a informá-la que a “Prestação de Contas” da Secretaria Municipal de Educação foi publicada no mesmo jornal “A Cidade” nº 996 do dia 29.01.05 – Página 12 – após aprovação, por unanimidade, do Conselho Municipal de Educação, ocorrida a partir das 17:00h (dezessete horas) do dia 28.01.05, no auditório da Secretaria Municipal de Educação. Reunião que V.Sa. convocou juntamente coma Sra. Presidente e, a qual não compareceu mesmo sendo membro nato do referido Conselho Municipal de Educação e a ele devendo comparecer por dever de ofício.
Entendemos (nós e diversas pessoas que nos tem procurado) que caso V.Sa. tenha alguma dúvida sobre as contas da Secretaria – Exercício 2004 – deveria ter-las exposto ao Conselho Municipal de Educação na reunião convocada para sua apreciação. Emitir conceitos pejorativos, sem tomar providências prévias, é uma ofensa à administração anterior, ao Serviço de Contabilidade e ao Conselho Municipal de Educação que, trimestre a trimestre, conferiu todas as despesas da Secretaria e da Seção de Merenda Escolar antes aprová-las.
Tenho o imenso prazer de informar a V.Sa. e a toda a comunidade de Ubatuba que, na nossa administração da Secretaria Municipal de Educação, não houve nenhum tipo de ocultação de procedimentos, todas as despesas eram conferidas pela presidente do Conselho, antes da reunião de apreciação, e todas as notas levadas à reunião para verificação dos conselheiros que o desejassem. Foi um trabalho transparente, sério, honesto e respeitoso com os recursos da EDUCAÇÃO e com as pessoas que tem o dever de fiscalizar o ordenador de despesas que é o Secretário Municipal de Educação.
Atenciosamente,

Corsino Aliste Mezquita
RG 2.976.292-3
Ubatuba, SP


E por falar em pagode... - Lamentavelmente o Itaguá segue pelo mesmo caminho da Av. Guarani, com um publico desqualificado se acercando em torno dos quiosques embalados a pagodão. É o que queremos para nossa cidade em termos de ocupação turistica? Não existe lei regulamentando locais e horários para execução dos "pagodões".Por nossa omissão, a av. Iperoig virou um sucatão, local de encontro do que tem de pior em nossa cidade e de outras, e imagino que deva ser um dos poucos lugares do mundo situados a beira mar com uma ocupação dessa qualidade. É com preocupação que vejo essa onda invadindo lentamento o Itagua. Será que é o tal nivelamento por baixo?...... ou quem sabe nossos sociologistas de botequim, ou uma certa idiotia politicamente correta, encontrem uma explicação melhorada, (não vale culpar só a pobreza, ou alegar respeito a comunidade......). Teremos de aguentar calados a sujeira, o vandalismo, a insegurança, o defecar e urinar nas ruas e calçadas, como forma de aplacar nossas consciencias pesadas pelo abandono social que tal omissão provoca? Quando vamos deixar de olhar suspirando para outras cidades que, (quebraram os ovos para fazer o omelete), organizaram de forma adequada sua urbe, ensejando com isso melhores condições de vida para seus cidadãos?. Quem não aceitar a maldição do Cunhambebe, que ponha mãos a obra, para reverter de pronto tal direção que nossa cidade está tomando, aproveitando o momento e a vontade politica da nova administração.

Sergio Abreu
Arquiteto - mestrando pelo IPT.
Ubatuba, SP

Foto do Dia Topo

Para participar desta seção basta enviar as fotos com crédito do autor e legenda, no tamanho mínimo de 1024 x 768 pixels com resolução de 72dpi para fotododia@litoralvirtual.com.br
O envio de foto caracteriza autorizada a sua publicação e identifica o remetente como autor.

Ubatuba-SP

Barra dos Pescadores/Cruzeiro - Emilio Campi


Barra do Cruzeiro
 ©Emilio Campi


Para instalar a foto como papel de parede (wallpaper)
Clique na foto acima. Após carregar a foto ampliada, clique com o botão direito do mouse sobre a imagem e escolha "Definir como papel de parede" ou "Definir como fundo de tela". Para ajustar a imagem em tela cheia, clique em qualquer lugar da área de trabalho com o botão direito do mouse, escolha "Propriedades" / "Fundo de Tela" ou "Papel de Parede" / "Ampliar".

Arquivos:  Foto Saudade  -  Foto do Dia

 Faça seu comentário, crítica, opinião ou sugestão no Litoral Virtual:
Clique Aqui


As notícias, fotos e cartas publicadas neste boletim são de inteira responsabilidade de suas fontes e autores,
não expressando necessariamente a opinião deste informativo. O envio de qualquer material para nosso e-mail
será considerado como autorizado a sua publicação e assumida a total responsabilidade pelo seu conteúdo.
As cartas devem conter nome completo, RG, endereço, telefone de contato e um e-mail válido.
Reservamos o direito de não publicar cartas que não contenham a devida  identificação do autor.

Editor Chefe: Emilio Campi
Editora Assistente: Jullyany Roberta Cruz


GRÁTIS!!
Receba as Últimas Notícias do Litoral em seu e-mail:

Quero receber GRATUITAMENTE o boletim Últimas Notícias do Litoral:

e-mail:
Cidade:



Obs.: Você poderá cancelar o recebimento das notícias a qualquer momento.

Conheça as cidades do Litoral Norte Paulista:

Caraguatatuba Ilhabela São Sebastião Ubatuba

Litoral Virtual
O mais completo site do Litoral Norte Paulista na Internet
Sugestões, críticas e informações, entre em contato:
info@litoralvirtual.com.br

©1995/2001 Emilio Campi - Studio Maranduba - Direitos Reservados
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem a expressa autorização do autor